Posts Tagged '#administradoradecondominionocentrodesp'

Feliz dia dos Namorados

Em comemoração a data separamos 5 filmes para vocês aproveitarem agarradinhos no sofá e com um balde de pipoca!

Ações, conscientização e reciclagem!

Em relação a importância das questões ambientais e sociais a Adaplan sempre teve uma atitude proativa. Pensando na sustentabilidade, desenvolvemos campanhas assistenciais, trabalho de voluntariado e arrecadações, visando mobilizar, conscientizar e interagir com o maior número de pessoas sensíveis aos problemas relacionados a esses temas.

Independentemente de haver ou não obrigação legal, a realização de uma inspeção predial periódica é um procedimento de extrema importância para retratar o estado de conservação de um edifício.
O resultado da inspeção possibilita identificar se as manutenções preventivas e corretivas estão sendo realizadas adequadamente, quais as medidas e planejamentos necessários.
Para os síndicos é uma boa oportunidade para demonstrar o que foi realizado sob sua gestão, sem prejuízo de já poder priorizar o que deverá ser feito nas próximas.
Como referência, a ABNT criou a NBR 16.747/2020, com diretrizes e procedimentos para a realização da inspeção predial, resultando também numa forma de validação da aplicação da NBR 5.674/2012 e da aplicação e eficácia dos planos de manutenção de edificações.
A inspeção predial é mais uma ferramenta de suporte à gestão dos condomínios, no sentido de reduzir riscos relacionados à falta de acompanhamento e intervenções ao longo da vida útil de estruturas, acabamentos e outros aspectos técnicos, devendo ela ser sempre conduzida por profissional técnico habilitado e considerar itens como:

1. Segurança – estrutural, contra incêndio e no uso e operação;
2. Habitabilidade – estanqueidade, saúde, higiene, qualidade do ar, funcionalidade e acessibilidade e sustentabilidade;
3. Durabilidade e manutenibilidade, desmembrados em etapas mínimas a serem cumpridas.

  • Levantamento de dados e documentação;
  • Análise de dados e documentação;
  • Entrevista para identificação das características construtivas da edificação: idade, histórico de manutenção, intervenções, reformas e alterações de uso;
  • Vistoria sistêmica, considerando a complexidade das instalações;
  • Classificação das irregularidades;
  • Recomendação de ações para restaurar ou preservar o desempenho dos sistemas;
  • Organização das prioridades em patamares de urgência;
  • Avaliação da manutenção (conforme NBR 5.674);
  • Avaliação do uso;
  • Redação e emissão do laudo técnico de inspeção predial.

A realização das inspeções, de acordo com a norma, não tem caráter obrigatório, e sua compulsoriedade se relaciona ao conteúdo da inspeção e metodologia adotada para a edificação, com definição de históricos e periodicidades. Cabe à legislação local estabelecer a idade da edificação e periodicidade com que devem ser realizadas as inspeções prediais, não havendo ainda legislação específica no Município de São Paulo.
Uma parte da inspeção predial será sempre baseada em análise de documentos, sendo fundamental que seu arquivo esteja organizado e atualizado, em especial o plano de manutenção e seus registros.
No processo de contratação de uma inspeção, deve-se verificar se o profissional ou equipe são habilitados para a realização da inspeção predial, que requer conhecimento sobre patologias na construção civil, frisando que a vistoria deve ser baseada na abrangência e etapas mínimas padronizadas pela norma NBR-16.747.
Com o laudo de inspeção em mãos, o responsável pela edificação deve estudar e providenciar a execução dos pontos que forem apontados como críticos, conforme sua prioridade.
Acatar as sugestões de pontos de correção para melhorias pelo Laudo Técnico de Inspeção Predial também se faz necessário, uma vez que a revisão de planos e processos de manutenção, aliados à inspeção periódica, têm o intuito de preservar a saúde, segurança e conforto de todos os envolvidos no empreendimento, com foco no longo prazo, evitando surpresas desagradáveis e custos extras elevados.
Por isso que dizemos que, independentemente da obrigatoriedade legal de se realizar uma inspeção predial é inegável que sua realização traz benefícios às edificações, desde a entrega do empreendimento e durante toda sua operação e vida útil.

Fonte: AABIC – Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo.

ASSEMBLEIAS E REUNIÕES: MANUAL DE COMPORTAMENTO

INTRODUÇÃO

Antes o que era uma opção para algumas empresas de perfis específicos, o home-office, hoje está se tornando um padrão, algo bem comum. Muitas empresas decidiram voltar seus esforços para que seus funcionários tivessem um desempenho igual ou superior em suas casas.
A pandemia do corona vírus (covid-19) foi a principal responsável por essa mudança, devido ao esforço para sua contenção e distanciamento social. Trabalhar de casa para grande parte da população é muito agregador, além disso, ter mais pessoas trabalhando remotamente traz impactos sociais positivos, como menos trânsito e poluição, com isso consequentemente gerando mais demanda de trabalho e naturalmente surgindo mais reuniões.
Pensando nisso, criamos um “manual de etiqueta”, para ser usado em reuniões diversas e assembleias virtuais. O objetivo desse material não é criar uma regra mas sim orientar sobre algumas características que essa modalidade traz e esclarecer diversos pontos e dúvidas para que as reuniões sejam produtivas e bem conduzidas, tornando esses eventos mais eficazes e profissionais.

ANTES DA REUNIÃO

  1. Comunicação objetiva e eficiente:

Com antecedência, informar a todos os participantes sobre data, horário e ferramentas que serão utilizadas. Conhecer a ferramenta é imprescindível para evitar atrasos na reunião e o desgaste dos demais participantes. Para as assembleias, os detalhes devem ser alinhados na pauta, recomendando-se ainda que sejam enviados/fixados no portal.

2. Preparação e realização de testes:

Antes da reunião, a preparação e organização são partes cruciais do processo. Para extrair o melhor da reunião, baixe o programa/aplicativo no computador/notebook antes do horário da reunião e evite imprevistos. Se antecipe, deixe tudo pronto antes de iniciar, 10 minutos de antecedência são o suficiente para garantir que tudo estará devidamente configurado e pronto para a reunião.
Evite tomar conhecimento das funcionalidades e características do programa momentos antes da reunião iniciar, pois problemas podem ocorrer e sua usabilidade ser afetada devido ao pouco tempo de uso. Pesquise a respeito, teste os programas/aplicativos para que você esteja sempre preparado.

3. Para o anfitrião ou responsável pela reunião:

Entre alguns minutos antes da reunião começar, para deixar tudo pronto, inclusive a câmera e a iluminação do ambiente. Esse passo é muito importante, pois evita a sensação de despreparo técnico, podendo ocasionar atrasos desnecessários por conta da falta de antecipação no preparo da reunião.

4. Ambientação e vestimenta apropriados:

Mesmo se tratando de uma “reunião virtual”, ainda é um encontro formal. Evite participar da videoconferência em lugares inapropriados como: no banheiro, sentado na cama, na área externa etc. Evite a presença de crianças, animais de estimação ou qualquer outro elemento que possa atrapalhar a produtividade da reunião. Fique atento às vestimentas muito informais, tenha bom senso.
Procure um local calmo, com iluminação e com bom sinal de internet, para garantir uma boa fluidez na condução da reunião, de preferência esteja com o computador/notebook em um superfície plana, como uma mesa por exemplo, para melhor conforto e aproveitamento da videoconferência.

5. Configurações gerais da reunião:

Lembrando mais uma vez – Faça todos os testes possíveis! Dessa forma você garante que tudo vai estar funcionando corretamente. Aqui vão algumas dicas que podem ser bem úteis:

• A melhor posição da câmera é de frente para o participante e o ideal é que o mesmo fique centralizado na tela que está sendo capturada. Evite a posição com a câmera inclinada (de baixo para cima);

• Utilize a iluminação natural ao máximo, dessa forma você evita sombras que marquem o rosto, procure usar fontes de iluminação suaves;

• Tenha cuidado com o áudio da reunião, evite ecos e ruídos. Se for realizar a reunião em uma sala vazia, pode usar o notebook;

• Fones de ouvido ajudam na qualidade do áudio de quem fala e de quem escuta, oferecendo mais conforto aos participantes já que o som está isolado e concentrado nos fones de ouvido;

• Teste a velocidade da internet, quanto melhor estiver o sinal e conexão, maior será a qualidade da sua reunião;

• Fique atento ao que transmite por vídeo! Sempre que se ausentar, feche o vídeo e o áudio do seu dispositivo para não atrapalhar os demais participantes;

• Busque equipamentos que facilitem a interação na assembleia;• Atente-se para a programação da reunião, se for acompanhar ou dividir arquivos, o acesso pelo celular pode dificultar o seu entendimento.

6. Algumas dicas para uma reunião eficiente:

• Apresentar os integrantes da reunião é de responsabilidade do moderador/anfitrião. Essa introdução e a apresentação dos participantes, são de extrema importância para criar um ambiente acolhedor e influído para condução;
• Procure deixar aberto no computador, apenas o que vier a ser utilizado na reunião, evitando problemas com exibição de informações indevidas ou que não sejam pertinentes a esse encontro no compartilhamento de tela;
• Perguntas como “O vídeo e o áudio devem estar abertos?” devem ser reforçadas na abertura da reunião, pois o alinhamento desses itens deve ser previamente definido na pauta enviada aos participantes;
• Aguarde seu momento de fala, assim você não interrompe a pessoa que está falando, gerando desconforto para quem fala e confusão para todos os demais participantes; • Seja pontual e objetivo, apresente todas as informações necessárias de forma clara e sucinta, para não prolongar a reunião. Essa dica é bem importante, pois uma reunião maçante e cansativa nunca será produtiva!;
• Esteja focado e acompanhe os assuntos tratados na reunião para não ser repetitivo ao fazer perguntas sobre temas já abordados; • A digitação está liberada em casos de confecção de ata (desativando previamente o microfone para isso). O uso de celulares, tablets, e qualquer outro dispositivo que não faça parte do equipamento da reunião deve ser evitado ao máximo. Atenda/responda mensagens apenas em casos extremamente necessários;
• Caso seja necessário se ausentar, procure o melhor momento para informar a todos sobre essa ausência, e em casos específicos, envie uma mensagem ao grupo via chat;

Reuniões, presenciais ou não, devem seguir as mesmas regras: o que você não faz na presencial, também deverá evitar na virtual, dessa forma:

– Não se alimente durante a reunião;
– Sempre aguarde o momento certo para falar, preste a devida atenção na fala de todos os participantes;
– Ao termino da reunião, questione sobre possíveis dúvidas e certifique-se de que todos os assuntos da pauta foram tratados;
– Finalizada a reunião, feche o aplicativo confirmando se foi realmente finalizado.

Seguindo essas dicas, você vai obter uma condução clara e assertiva em todas as assembleias e interações.

Boa reunião!